30 de outubro de 2011

ABERTA AS INSCRIÇÕES PARA O SEGUNDO BOOK TOUR DO BLOG AMAZÔNIA!

OLÁ RESENHISTAS E AUTORES, ESTÃO  ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O SEGUNDO BOOK TOUR DO BLOG.
ACESSE O LINKhttp://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/2011/09/nota-encerrado.html

QUEM GOSTARIA DE PARTICIPAR?

BEIJINHOS!

Livro no Skoob: Amazônia

Resultado sorteio do livro do escritor André Victtor.

True Random Number Generator 10 Powered by RANDOM.ORG


Sortuda: Daya, muito prazer... 

29 de outubro de 2011

VOCÊ QUER GANHAR UM LIVRO AUTOGRAFADO?



SORTEIO DO LIVRO "A GALERIA WILSON" de Maicon Tenfen 

AUTOGRAFADO COM O NOME DO VENCEDOR!!!





REGRAS

1-Seguir publicamente os blogshttp://palavrasaventureiras.blogspot.com/ e http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/
2- Deixar um comentário nos links dos dois blogs da promoção.
3- Residir no Brasil ou ter um endereço de envio no Brasil.
4- Preencher o Formulário AQUI

5- O sorteio será feito a partir da ordem de inscrição no formulário.
6- Data início: 29/10/11
7- Data término: 28/11/11
8- Data sorteio: 29/11/11

ATENÇÃO!  Se o ganhador não entrar em contato em até 3 dias após a divulgação, faremos novo sorteio.

28 de outubro de 2011

Dia do livro- amanhã!!!!

Hoje recebei um e-mail do escritor Ricardo Brandes.
 Pois amanhã é o dia do livro- 29 de outubro.


Curiosidade:
Você sabe por que comemoramos o dia Nacional do Livro no dia 29 de outubro? Por que foi nesse dia, em 1810, que a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil, quando então foi fundada a Biblioteca Nacional e esta data escolhida para o DIA NACIONAL DO LIVRO.

O Brasil passou a editar livros a partir de 1808 quando D.João VI fundou a Imprensa Régia e o primeiro livro editado foi "MARÍLIA DE DIRCEU", de Tomás Antônio Gonzaga.

Comemore também!
Comemore o dia do livro: lendo; presenteando com livro, ou, escrevendo uma frase. Se gostar do que escreveu, nos envie por e-mail. Vamos divulgar. 




"Livro fonte universal do saber"




Segue um trecho para apreciarem:

1 Eu, Marília, não sou algum vaqueiro,

que viva de guardar alheio gado,

de tosco trato, de expressões grosseiro,

4 dos frios gelos e dos sóis queimado.

5  Tenho próprio casal e nele assisto;

6 dá-me vinho, legume, fruta, azeite;

7  das brancas ovelhinhas tiro o leite

8 e mais as finas lãs, de que me visto.

9 Graças, Mar flua bela,

10  graças à minha estrela!



Lindo, não é mesmo?
Marli Carmen Jachnkee.

Encontros...


Olá amigos e amigas do blog! 
Na apresentação, que fiz na Universidade, recebi quatro- isso mesmo!- quatro livros dos escritores Ricardo e Fabiana Brandes!
Além de uma fotinho, claro! rsrsrs



Bem, além dos escritores acima...conheci pessoalmente o escritor Johnny Virgil, que está participando no book tour de Amazônia com seu livro: O Homem- Concha!

E não parou por aí! A historiadora Urda Klueger foi especialmente para me conhecer, ao evento!

Vocês gostaram? heheehe
Beijinhos
Marli Carmen Jachnkee.

27 de outubro de 2011

Apresentação do livro na Universidade!


Olá amigos e amigas! Hoje vou fazer uma apresentação do livro na Fundação Universidade Regional de Blumenau! Contarei como foi para vocês!! 
Beijocas!
 Estou muito contente!
Marli Carmen Jachnkee.


Aproveitem para ler a nova resenha que saiu do livro http://www.leitorafashion.com.br/2011/10/resenha-amazonia-um-caminho-para-o.html#comments

Beijocas


26 de outubro de 2011

Apresentando: Acordes Poéticos!

Amigos e amigas do blog Amazônia, tenho a honra de apresentar o livro Acordes Poéticos de Fabiana Lange.



**** Acordes Poéticos*****

Meio-amargo. É assim que eu definiria o livro. Com pontas de nostalgia, alegria e puro romance, escrevi em linhas desordenadas o texto que é minha própria vida. Quem lê o livro e me conhece, tem a certeza que cada palavra tem o seu por quê e o seu momento. Quem ainda não me conhece, acaba me conhecendo até demais, devido à transparência que o livro traz do meu ser. 
O primeiro amor, as desilusões desse amor, a família, os amigos e tudo o que há de importante estão compilados nesse simples volume que tem somente uma função: deixar que as pessoas leiam meus anseios e angústias e tentem se identificar com seus próprios sentimentos.
Penso que apenas transportei a imagem que vejo no espelho para as páginas do livro. Cartas, poemas e canções..... Isso é tudo o que escrevo e é o que dá sentido à existência. 




Fabiana Lange Brandes
Professora de Idiomas


Espero que gostem! Convido-os a deixarem um comentário para a autora aqui no post!
Bejinhos poéticos para vocês e para Fabiana Lange!
Marli Carmen Jachnkee.
 

Sorteio!!!!!!!!!!!!!!!!!

Em breve sorteio do meu  livro no blog da Cleide:
http://palavrasaventureiras.blogspot.com/


Por enquanto...aproveitem aqui no blog:

Sorteio no dia das Bruxas!!!!

Do livro do escritor André Victtor! Você encontra o post facilmente em: postagens populares!!!

Bjs
Marli Carmen Jachnkee.

O APRENDER QUE NÃO SE ESQUECE.




Quando levo minha memória para aqueles tempos no qual minha maior preocupação eram as notas na escola, lembro-me das aulas de Português do Ensino Fundamental. Mais especificamente, as aulas em que a professora nos solicitava que escrevêssemos uma Redação. No início isso me afligia muito, e pedia para minha irmã escrever pra mim. Mas sempre ficava uma sensação estranha de culpa e medo. Depois percebi que não é nada interessante outra pessoa fazer no nosso lugar. Seja como for, o bom mesmo é quando é nosso, com nossos erros e acertos.
Então, quando finalmente perdi o medo da minha imaginação, decidi por uma história infanto-juvenil de terror. A classe ficou impressionada e alguns fizeram até comentários. Lembro-me também de outra ocasião em que escrevi um suspense policial, e os meninos da sala foram os que mais gostaram. Se me perguntarem o que a professora ensinava sobre regras de escrever eu diria: quase nada! Mas esse quase nada gramatical foi um tudo para a imaginação. Ela não nos prendia, éramos livres para pensar aquilo que queríamos, e colocar para o papel sem medo do temível português. De repente, esse “bicho de sete cabeça”, começava a tornar-se interessante. Já não era mais um monstro que iria nos morder. A professora sempre nos dizia que se queríamos escrever deveríamos ler. Ler muito!

Marli Carmen Jachnkee
copyriht

25 de outubro de 2011

Dica de leitura: "A Galeria Wilson"

A Galeria Wilson - em breve
Faz seis meses que a esposa do empresário Marco Antônio Florestan desapareceu. O que houve com ela? Perdeu a  memória e por isso não consegue voltar para casa? Caiu nas garras de sequestradores? Foi assassinada? Ou seria apenas um caso de decepção matrimonial, a fuga pura e simples de uma mulher infeliz? Mais do que localizá-la, Marco Antônio sabe que no fundo deseja puni-la para aplacar o seu ódio de marido abandonado.
Quando perde as esperanças de encontrar a mulher com vida, é procurado pelo ambíguo Haroldo Machado, detetive particular que garante estar na pista da “fugitiva”. A partir de então, Marco Antônio resolve iniciar uma investigação por conta própria, colocando-se no lugar da esposa e, para isso, lendo o livro que ela deixou cair (de propósito?) no momento da fuga. Seria a proposta de um diálogo em código, o diálogo que jamais partilharam durante o casamento?
Embora considerasse as leituras da esposa “fúteis e sem futuro”, Marco Antônio não imagina o que o espera dentro e fora do livro que começa a ler. O que parece ser a busca do outro, de repente, se transforma na busca de si mesmo. E, aos poucos, o que parece ser a história de um casamento fracassado se torna uma jornada rumo ao imprevisível, repleta de surpresas, trevas e incerteza.
Como acontece com Marco Antônio, o leitor também será convidado a descer as escadas da Galeria Wilson. Só quem tiver coragem de caminhar pelo subsolo será capaz de desvendar os enigmas do romance.



EM BREVE SORTEIO AQUI NO BLOG!!!!

RESENHA!

Quem quiser prestigiar, tem nova resenha.
Dessa vez, é no blog do queridíssimo Marco Antonio!
http://devoradordeletras.blogspot.com/


Aproveitem para ler uma entrevista super bacana, no blog: http://asasliteraria.blogspot.com/2011/10/materia-especial-obras-e-autores.html  do amigo Juan!!

Beijinhos
Marli Carmen Jachnkee.

23 de outubro de 2011

Olá amigos de Amazônia!


Boa noite, amigos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Para finalizar esse lindo domingo ensolarado, quero convidá-los a assistirem o vídeo que fiz...estou aprendendo..então...heheheeheh falta muuuuito rsrsrsr

http://www.youtube.com/watch?v=lZiojI8zbpo&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=UMczfpkfrQE&feature=related


"Com um desfecho sutil e ao mesmo tempo magnífico, fica com um gostinho de “quero mais”.M. C. Jachnke tem uma narrativa maravilhosa, que faz com que você consiga formar e ver perfeitamente, em seus pensamentos, todos os pontos turísticos citados durante o livro, inclusive as maravilhas do local, e praticamente consiga entrar nas páginas do livro e se integrar com a estória. É basicamente uma viagem literária para a Amazônia e suas maravilhas naturais."
Leia mais: http://www.apaixonadaporlivros.com/2011/10/amazonia-um-caminho-para-o-sonho-m-c.html#.TqQv1f_mbUw.blogger

22 de outubro de 2011

Narrativa: O MISTÉRIO DO SENHOR DE SIPAN


Deixem essa escritora feliz! hehehe
Adoraria saber o que vocês acharam da narrativa que escrevi! 
Boa leitura!


"Nos Andes todos conheciam a lenda do Senhor de Sipan, contam que há muito tempo chegou à costa do Peru em Lambayeque um jovem chamado Naylamp. Governou no Vale do Sipan, no norte do Peru. Sua autoridade era incontestável, tinha três poderes: religioso, militar e civil. Morreu e deixou no seu lugar o filho para governar. Da antiga civilização Mochica ou Moche, que mais tarde dariam lugar aos Lambayeque, Chimus e finalmente aos Incas.Tudo era apenas uma lenda entre os indígenas andinos, história passada de geração a geração, como tantas outras. Mas com uma diferença: na primavera de 1987, 1700 anos depois, a persistente equipe de arqueólogos peruanos coloca um ponto final na dúvida da realidade da lenda, ao anunciarem uma das maiores descobertas arqueológicas da América no século XX. Era a primeira descoberta de uma múmia tão antiga nestas terras. Enterrada em um sarcófago de madeira a múmia estava rodeada de peças de ouro e prata, também havia pedras semipreciosas como a turquesa. A múmia acabou sendo considerada Patrimônio da Humanidade, pois contava um pouco da história das civilizações das Américas. Encontrava-se em um museu muito bem protegida. Era o orgulho do Diretor do museu que não cansava de dizer o quanto a obra era preciosa e valia milhões. Segundo ele, muito mais do que as jóias encontradas junto. Fomos chamados à região por que o museu havia sido saqueado! Levaram um único ornamento: a Múmia de Sipan! A maior descoberta havia sido roubada!
Segundo o Diretor era intriga da oposição. Os invejosos de Cusco, que não aceitavam o fato da múmia de Sipan ser muito mais valiosa do que uma múmia Inca. José meu chefe, era um grande investigador. Começou observando com sua calma habitual, o local.
Escuro, com aquela típica luz clara de museu, ia percorrendo os objetos até chegar ao local que deveria estar a múmia, tudo estava intacto, não era um saqueamento, pois só levaram um único objeto. Havia na sala um estranho aroma de vinho, provavelmente utilizado para disfarçar o mau cheiro que acabava tendo devido as antiguidades. O Museu de arqueologia contava com peças encontradas nas escavações de 87: máscaras, cerâmicas e jóias. Mas enquanto caminhava José percebeu algo reluzindo no chão, abaixou-se e pegou um anel... fez aquela cara que eu já conhecia: era uma pista! Havíamos encontrado uma pista importante! Ou melhor, ele havia encontrado.
Ao sairmos nos deparamos com Sandra uma das assistentes que trabalhava no museu, uma americanazinha, atrapalhada, loira, de olhos azuis que falava um espanhol enrolado. Mas foi possível compreender que ela estava reclamando com o namorado, guarda do museu, que ela havia perdido seu anel. José e eu nos entreolhamos e ela foi a primeira na nossa lista de suspeitos. A investigação estava apenas começando.
Percorremos o pátio externo do museu e em uma entrada nos fundos que parecia nunca ser aberta divido à ferrugem, percebemos algumas pegadas. José abaixou e pode identificar que uma delas era de um sapato Oxford. Seguimos ao encontro do Diretor que havia nos convidado a tomar uma bebida em um barzinho local, tudo estava muito atrasado no pequeno povoado de Lambayeque em Chiclayo. O Diretor perguntou se já havíamos encontrado alguma pista, José disse que precisávamos que o museu ficasse fechado até encontrarmos o culpado. Então, aquele homem de pele morena e baixinho começou a dizer que o museu precisava pagar suas contas, e se fechassem isso complicaria ainda mais. Novamente fez questão de afirmar que a obra roubada valia muito e que graças a sua perspicácia estava assegurada havia seis meses.
Pediu um vinho para esquentar nossos corpos e mentes. Ao primeiro gole levantou seus olhos negros e disse com uma calma que até então não tivera, que nos daria um dia para a investigação com o museu fechado, na manhã seguinte seria reaberto.
José e eu agradecemos seguimos por uma rua estreita e retornamos. Ao chegarmos deparamos com Jaqueline, a guia do museu. Na manhã daquele dia fora ela a primeira a perceber o roubo ao entrar na sala número 1. Trabalhava há três anos no local, estudou na Universidade Católica de Lima e depois retornou para sua cidade. Começo a trabalhar lá antes de Sandra e nunca simpatizou com a americana que tinha o cargo que ela desejava.
O guarda foi interrogado e disse que em um determinado momento da noite demorou-se um pouco no banheiro. Talvez foi nesse tempo em o bandido agiu, pois ele não escutou nada diferente e por isso não entrou na sala. Ficamos um pouco desconfiados, pois era quase impossível que ele não tinha visto absolutamente nada. Seria ele cúmplice no roubo?
A nossa maior dúvida continuava sendo como o bandido havia entrado se nenhuma das entradas foi arrombada. Sandra, Jaqueline, o Diretor e o guarda tinham a chave! Todos eram suspeitos! Mas no meio de tantos suspeitos era preciso organizar as pistas e separá-las em falsas e verdadeiras. Precisávamos imaginar por que alguém roubaria uma múmia histórica. Onde esconderiam uma múmia do século I ou II da nossa era? Quais os interesses por trás de um roubo arqueológico?
Passamos a tarde em silencio apenas observando e simulando os acontecimentos em nossas mentes. Eles não imaginavam que eram nossos suspeitos, apenas acreditavam que estavam colaborando para encontrarmos o ladrão. Por isso, precisávamos agir com cautela, um deles devia estar de olho na gente!
Trocamos algumas ideias entre nós dois e depois de pensar por um longo tempo, José já não tinha mais dúvida, havia encontrado o ladrão!
O cheiro de vinho na sala e depois o Diretor os convida para beberem um. Muito suspeito. A pista havia sido plantada para culpar o Diretor. O que o ladrão não esperava era que iriam ver as pegadas nos fundos do museu, pegadas Oxford, sapato impossível de encontrar no local em que estavam. Sandra havia dito que entrou pela frente naquela manhã, mas as pegadas estavam nos fundos, a americana era a única que poderia ter aquele sapato naquele fim de mundo.
Decidiu observar se ela ainda estava com ele, mas não estava. Precisava de provas quando se dirigiu à Jaqueline e pediu que ela o ajudasse a abrir a porta que dava para o depósito. Queríamos verificar todos os espaços do museu, para descobrir se havia alguma passagem secreta ou algo parecido. Apesar de haver a pegada na porta dos fundos, não havia marca de pneu ou de mais de uma pessoa. Se descobríssemos como a múmia foi retirada do museu, seria mais uma prova contra o ladrão.
Havia alguns entulhos em frente à porta e Jaqueline começou a retirá-los com nossa ajuda. Num momento de descuido a jovem acabou pisando no pé do investigador que ao olhar para baixo percebeu na jovem o sapato que ele procurava!
O mistério da Múmia de Sipan foi esclarecido, Jaqueline confessou o crime e também que plantou as provas para enganar o investigador. O sapato Oxford ela havia comprado em Lima- a capital do país, antes de ir viver em Chiclayo. O que queria era que um dos dois fosse afastado, então ela encontraria a múmia no subsolo -onde havia deixado- e conquistaria um cargo maior no museu".
FIM.

 Marli Carmen Jachnkee
copyright



21 de outubro de 2011

Selo de qualidade!


Meme é tudo aquilo que se aprende a partir de uma outra pessoa, 
podendo variar de coisas simples até as mais complexas.
Resumindo: alguém fez, você viu, gostou e copiou. 
Outras pessoas também farão o mesmo e isso vai se alastrar de uma forma viral.

Minhas respostas:
Nome: Marli Carmen Jachnkee    
Uma Música (no momento): Zero Assoluto - Seduto qua

10 coisas sobre mim:

Pessoa feliz com o rumo da vida!
Quero aprender italiano e árabe!
Amoooooooooooo a vida de Universitária!
Já fui lactovegetariana!
Me encanta escrever!
Falo sozinha quando tenho uma ideia.( segredo, hein! heheheeh)
Como muuuito macarrão!
Nunca briguei pra valer com alguém.
Adoro culturas antigas.
Há alguns anos, eu quis ser voluntária nos campos de refugiados da África, e cheguei a ver como poderia ser. Acabei não conseguindo.

Humor:  Geralmente contente, às vezes: séria.
Cor favorita: Branco
Um Seriado:  **************
Frase ou Palavra:  
O que achou do Selo: Amei!
Blogs indicados:  Anunciarei no blog.

Meus indicados para o selo:
http://terapeutakarin.blogspot.com/
http://devoradordeletras.blogspot.com/
http://blogdaescolasantaterezinhaaracaju.blogspot.com/
http://vanoska.blogspot.com/
http://simonepoesias.blogspot.com/
http://seriedestinointimo.blogspot.com/
http://leilarodrigues-palavras.blogspot.com/
http://blogdaoktober.blogspot.com/
http://amigodolivro.blogspot.com/

19 de outubro de 2011

Próxima parada: Andes!


Um dia em Cusco é um dia de magia, de sonhos feitos realidade, de histórias e de mentiras. O ar entra diferente nos pulmões, também pudera a mais de 3.000 metros de altitude seria estranho se pudéssemos respirar igualmente como aqui. Soroche é o mal da altitude, que te deixa cansado, sem fome e para os mais frágeis, a situação pode piorar para uma forte e insuportável dor de cabeça, além de um incômodo mal estar. A recomendação é descansar ao chegar à cidade. Mas quem é que vai querer ficar trancado dentro do hotel descansando quando se está em Cusco? É a antiga capital de uma das maiores e mais impressionantes civilizações da América! Se os Incas podiam a gente também pode! É só seguir os passos deles e beber uma deliciosa infusão de coca. Ah! Não fale em coca para os americanos e talvez nem mesmo para os brasileiros, ou quem sabe para ninguém. Beba escondido, mas beba! Estar em Cusco e não desfrutar dos antigos costumes..., recomendo que você nem saia do seu país! Não se esqueça da quinua, rica em proteínas é recomendada pelos ancestrais Incas. A sopa sagrada pode ser encontrada em qualquer restaurante ou casa. Mas nos restaurantes você terá que pagar o absurdo de 15 soles o prato! Aproveite para pedir uma Inka-cola que só existe por lá! Tudo ao clima imperial moderno, Uma infusão de coca, para calentar, um prato de sopa e um copo de Inka-cola! Não combina, mas se você experimentar isso, ao lado de pessoas que falam o castelhano e talvez até o quéchua, entenderá que estar em Cusco, não é como estar em qualquer outro lugar do mundo, não!! Por que Cusco é impressionante, inesquecível, única e é a antiga capital do Império Inca!

Besitos! Los quiero mucho!

                                      Marli Carmen Jachnkee- uma brasileira que já viveu em Cusco.

"Meme" de qualidade

Olá amigos!
Ganhei o selo de qualidade de dois blogs:
http://www.historiasdoandrevicttor.blogspot.com/
http://palavrasaventureiras.blogspot.com/

Vou responder no fim de semana...
Agradeço de coração aos dois blogs!!
Beijinhos
Marli Carmen Jachnkee

17 de outubro de 2011

Novas parcerias!

NOVAS PARCERIAS NO BLOG " AMAZÔNIA"


Willian Iuri 
http://frasesaoar.blogspot.com/
Juan Silva 
http://asasliteraria.blogspot.com/2011/10/asas-literaria-chegando.html

Aymée Meira
Ricardo Brandes
http://www.blogdaoktober.blogspot.com/
Rudynalva
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

Obrigada!!!




Grata
Marli Carmen Jachnkee

COMPRAS DO LIVRO:

ONLINE
NA LIVRARIA CURITIBA


DIRETAMENTE COM A AUTORA ATRAVÉS DO BLOG.
EXEMPLAR AUTOGRAFADO, NA COMODIDADE DA SUA CASA!
APROVEITE!!!!!!

SOMENTE R$ 20,00 O EXEMPLAR!

Um pouco de Jê...


Primeira segunda-feira de cada mês era dia de cantar o Hino da Bandeira no pátio do colégio.
Braços estendidos ao lado do corpo, olhos a contemplar a beleza da bandeira hasteada.
Alguns não sabiam a letra e só abriam a boca; outros sabiam, mas não a compreendiam de fato. Mas todos ficavam no pátio, braços estendidos, cabeça erguida.
Terminado o momento de louvor, houve um instante de silêncio, e quando perceberam que estava tudo calmo demais, começou-se a conversa paralela.
Assim, os alunos desde o pré até a oitava série, seguiram para suas respectivas salas.
-  Bom dia!
-  Bom dia, professora! – disseram num coral muito bem ensaiado.
Ela sorriu, enquanto ajeitava a sua mesa. Era engraçado o jeito que eles falavam bom-dia-profes-sora. Isso a fazia se lembrar da infância, e de que algumas coisas não mudavam. Não, no interior, pelo menos. Lá, os valores eram conservados com mais garra. Poder ouvir bom-dia-profes-sora, era algo que a deixava feliz.
Pegou o pincel atômico e escreveu três palavras muuuito estranhas, no quadro. Por um instante, ficou observando a reação de seus alunos, que iam desde o espanto até a indiferença.
-  Estas três palavrinhas...
-  Palavrinhas! – espantaram-se alguns.
Com um sorriso sincero, corrigiu-se:
- Estas três palavras podem ser novas para vocês hoje. Mas acreditem, elas irão acompanhá-los por muitos anos.
Não acrescentou que tudo o que estavam estudando, os acompanharia durante anos e anos de suas vidas. Preferiu não assustá-los demais.
- Oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas. – leu alto e em bom tom. – Vou explicar para vocês e verão como é fácil.
Alguns duvidaram de que pudesse ser verdade. Eram palavras tão assustadoras que o assunto deveria ser tão assustador quanto.
Vontade de fugir. Levantar da carteira e ir pra casa. Mas tinham de ficar. Iam para a escola para aprender, então tinham de ficar para saber o que parecia ser uma estória de terror e que eles não tinham vontade nenhuma de ouvir. Mas tinham de ficar.
-  Oxítonas são todas as palavras que a sílaba tônica é a última.
- O que é sílaba tônica professora? – perguntou sem delongas Laressa.
-  É a sílaba mais forte. – explicou – Vou escrever umas palavras, para ficar mais fácil.
Escreveu quatro palavras e foi pedindo a ajuda dos alunos para descobrirem qual era a sílaba mais forte. No fundo eles pareceram gostar. Afinal; oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas não eram tão perversas assim. Podiam, quem sabe, se tornarem bons amigos.
Bons, não! Apenas, amigos.
- Jê, por que você não compra uma borracha? – perguntou Tiago, já que ele vivia pedindo a sua emprestada.
Jê passou a borracha no caderno, cabisbaixo. Soube-se que foi a última vez que a pediu emprestada. Ele interpretou como se o outro garotinho não estivesse mais a fim de emprestar-lhe seu material. Aquela pergunta doe-lhe na alma infantil. Não sabia a resposta. Não sabia o por quê.
Tudo bem que não podia comprar o lanche da cantina, e sua mochila era velha do ano passado. Sabia lidar com isso e até com a falta de uma borracha para apagar seus erros no caderno escolar. Mas quando lhe questionavam tais faltas, era estranho pensar no por quê. Como se houvesse um por quê, ou mesmo se houvesse, como se fosse importante ter tudo o que todos tinham. 
Às vezes, muitas vezes! Ele desejava poder ter também. Mas sabia que havia outras coisas mais importantes. Acredite, ele sabia!
Gostava de imaginar.
Jê adorava o fato de poder pensar em coisas que não existiam de fato para ele, mas que pensando pareciam tão reais que às vezes, só o pensamento já lhe acalmava a falta do que queria, mas não tinha. Porém, podia desejar e pensar que tinha. E ser feliz mesmo assim. Mesmo sabendo que não tinha de fato, mas poderia ter sempre que pensasse na coisa.
Estranho. Podia-se ter se, se pensasse que tinha.
Ele não negaria o fato de que as queria.
As queria de fato!
Geralmente o que as pessoas negavam com veemência era o que mais desejavam. Jê não negava a si mesmo que queria poder comer os bolos da cantina, e ter uma mochila só um pouquinho melhor, e também, quem sabe uma borracha para poder errar com mais tranquilidade. Mas, pensando bem....
Pensando bem, ele não negava a si mesmo, mas talvez negasse aos outros tais desejos. Eram seus. Só seus.
Difícil seria conviver com os olhares de pena, os gestos de caridade maldita, quando tinham ouro e davam ferro, achando-se bons por isso.
Jê não era um garotinho fraco. É bom lembrar disso! Não vivia agoniado só por que não podia ter o que os outros tinham com tanta facilidade. Estava contente sim, com o que tinha. Só que,...era humano. Desejava!
Assustadoras eram as pessoas quando achavam que por não poder possuir, tornava alguém infeliz. Incompleto.
Existiam os que assim se sentiam. É verdade! Mas felicidade de verdade, que vinha de mãos dadas com o entusiasmo e a alegria, não tinha nada a ver com uma mochila nova, bolos na cantina nem borracha própria.(apesar de que as queria muito!)
Era estranho como o mundo parecia estar dividido entre vencedores e perdedores. Felizes e infelizes, pelo que possuíam e não pelo que eram.
Ter um bom trabalho, alto salário, casa grande; era para vencedores.
Felizes.
Felizes?
Morar numa casa pequena e simples, estudar em escola pública, era para perdedores.
Infelizes.
Infelizes?
Lenda estúpida!
Felicidade para Jê era poder chegar em casa depois de uma manhã de muito estudo na escola, e ver que a mãe preparara um de seus pratos favoritos. Era ir na casa dos avós, e dividir a tigela de bolinhos de chuva e enrolar-se no agasalho deles. Era desejar com mais força que a mochila, o bolo e a borracha, um colo do pai.
Felicidade não precisava de dinheiro, só de gestos. Ela não era adquirida, e sim vivida. Não existia nas lojas, só na vida.

 Marli Carmen Jachnkee.(copyright)

16 de outubro de 2011

O LIVRO QUE INFLUENCIOU O RUMO DA MINHA VIDA.

Olá! No blog: http://palavrasaventureiras.blogspot.com/ está acontecendo uma enquete!

O LIVRO QUE MAIS MARCOU MINHA VIDA FOI...


Bem..eu vou aproveitar e fazer um post aqui para responder...

O LIVRO QUE INFLUENCIOU O RUMO DA MINHA VIDA.


Tenho o desejo de escrever faz muitos anos, mas a minha vida era totalmente diferente. Caminhava para outro rumo. Eu cheguei a pensar em apenas sonhar, mas não realizar. Senti medo de não conseguir escrever, nem publicar.
Filha de operários, estudante de escola pública, não tinha muita visão em um futuro grandioso! Sempre fui sonhadora, e tinha uma imensa imaginação! Mas como alcançar uma meta sem ajuda? Quem poderia me ajudar a desenvolver a escrita? Como começar um livro? Uma pesquisa? Como ir até a Amazônia?
Eu tinha muitas perguntas, um coração cheio de sonhos, mas não tinha uma única resposta. Até que um dia, um amigo recomendou um livro, que eu nem sequer tinha ideia que mudaria a minha vida!
O nome do livro é O ALQUIMISTA.  Durante as páginas, senti uma força dentro de mim que crescia e crescia. E ao terminar de ler, disse a mim mesma, que lutaria com toda a minha força pelo meu sonho. Minha meta de escrever um livro sobre a Amazônia e levar informação ao leitor sobre um lugar que ele provavelmente ainda não conhece.
Já se vão muitos anos...e hoje o livro está aí. Os leitores estão encantados por conhecer uma Amazônia tão exuberante através das páginas. Daquilo que ricamente eu escrevi! Foram também, anos de dedicação, em uma extensa pesquisa, para levar toda a informação que contém no livro! Não é um livro científico, mas é um livro rico em detalhes devido à pesquisa que fiz! Parte dela fiz na minha casa, outra parte na Amazônia- em uma inesquecível viagem para coletar dados!
Já estou escrevendo o segundo livro... e tenho ideias para muitos outros!
Ninguém pode parar uma alma sonhadora!!!!
Ah..quanto ao livro que influenciou a minha vida...eu ainda tenho e é autografado!!! Está descuidado, devido à umidade na minha casa! Mas continua com seu lugar especial na estante!
E olha que eu já li livros de filosofia, história, psicologia... e foi justamente um dos livros mais criticados pelos “conhecedores da literatura” que foi capaz de mudar o rumo da minha história pessoal! Ajudando a dar a força que eu tanto necessitava naquele momento!!
Um livro é um livro, e tem o poder de modificar!

Marli Carmen Jachnkee.

15 de outubro de 2011

Varal do Brasil!!!


Gente! A Revista "Varal do Brasil', publicou o texto que escrevi "Instantes"
Se quiserem prestigiar, acessem o link abaixo.
Está na página 80.

Beijinhos
Marli Carmen Jachnkee.
http://varaldobrasil.ch/media/DIR_158701/6ea4cc148526058effff92cbffa86322.pdf

NOVA Resenha de Amazônia- um caminho para o sonho.

Tem resenha nova do meu livro: 

ENTREVISTA: André Victtor – O Mestre dos Contos Fantásticos


1 - Quem é André Victtor ?
             André Victtor é o meu pseudônimo de escritor,  sendo que André  é realmente o meu primeiro nome verdadeiro e Victtor  um sufixo variante do Latim. Escolhi que sua ortografia fosse escrita com dois “T” representando assim uma imagem de duas cruzes germinadas, ou melhor, de um forte alicerce cravado no universo sobrenatural. Mas em resumo, o André Victtor  é praticamente a minha segunda personalidade que veio a tona em Dezembro de 2010. Eu escrevo literatura fantástica levemente sombria e meus livros e contos são criados para serem lidos antes de dormir. É um precioso presente para quem gosta de histórias e lendas.   Mas tem um detalhe:  quando eu começo a escrever, eu adquiro certos poderes mágicos, podendo transformar palavras em textos, textos em contos e contos em verdadeiras histórias. Consigo ainda criar uma atmosfera inicial que conduz o leitor levemente para o mundo da ficção, mexendo com a sua imaginação e fazendo com que ele realmente acredite naquilo que está lendo. Tudo feito de uma forma bem instigante, delicada e inofensiva às religiões. Simplesmente definida como Literatura Fantástica. Só isso e mais nada. Como pessoa comum, eu tenho uma vida normal junto à minha família. Sou casado, possuo um casal de filhos, sou natural da cidade de Ouro Fino, sul de Minas Gerais, nasci em 10 de Maio de 1972 e atualmente estou com 39 anos. Sou formado em Gestão de Tecnologia da Informação pela Universidade Paulista (UNIP), atuo profissionalmente como Desenvolvedor de Sistemas atendendo à vários clientes e também trabalho como Administrador de Redes em um hospital de médio porte na minha cidade.  Sou fã do seriado Supernatural, True Blood, CSI e do saudoso Arquivo-X.

2 - Quando você começou a escrever e por quê?
Sou completamente apaixonado pelos mistérios do Egito Antigo. Como sempre apreciei a imortalidade das coisas, influenciado talvez por muitos filmes de vampiros que assisti no passado, percebi que era hora de deixar um pouco do “Ter” para tentar me imortalizar mais no “Ser”.  O tempo está passando rápido demais e com ele tudo se vai e tudo se perde. Uma das formas de se tornar um imortal é deixando escrituras.

3 - O que você pretende passar ao leitor através das tuas obras?
O lado sobrenatural das coisas me encanta muito, assim como também vejo que no fundo todo mundo gosta de mistérios. Eu tento passar para o leitor de uma forma leve e mágica todo esse universo fantástico e acredito que isso contribua muito no sentido de relaxar suas mentes, ampliar seus conhecimentos sobrenaturais através de meus contos e minhas pesquisas, fazendo com que essas pessoas fujam um pouco da realidade técnica do nosso mundo, estimulando-as para gostarem mais de leitura.


4- Escreva um pouco sobre o livro que será sorteado aqui no blog: O RETORNO DO MESTRE.
Sinopse:  Após se interessar por um amuleto egípcio, um jovem tecnólogo de informática acaba adquirindo-o misteriosamente através de seus contatos pela internet. Mas ao manusear o tal objeto, o jovem acaba se ferindo acidentalmente e mudando para sempre a sua concepção de vida, conhecendo assim todos os segredos da imortalidade. Uma história em que a realidade e a ficção se misturam… Na qual o autor e o seu personagem se fundem… Uma trama envolvendo mistério, suspense e alta tecnologia… 
Este livro é uma história que mescla a vida do autor com os poderes da cruz egípcia, o Ankh. Muitas pessoas talvez não conheçam a verdadeira simbologia do Ankh, que tem como significado principal, a Vida Eterna. Escolhi este objeto milenar e misterioso, o Ankh, para dar origem a uma série de histórias que ainda virão, retratando sempre como base o vampirismo real e atualizado. Algo bem diferente, fugindo bastante das origens e dos antigos hábitos de Drácula, como caixões, luz do sol e morcegos. É um livro em que o leitor precisa estar envolvido com a misteriosa atmosfera vampiresca, gostar dos mistérios do Egito e também tentar compreender a mesclagem entre a vida do autor que é um tecnólogo de informática, com a ficção sombria, descrita em forma de uma narrativa instigante. Com pouquíssimos diálogos, na verdade ele é um grande relato feito pelo autor, compartilhando todas as etapas que o levaram a mudar para sempre a sua concepção da vida, desvendando ao leitor todos os segredos da imortalidade.

5 - Você está trabalhando em um novo projeto? Qual?
Sim, estou escrevendo o segundo livro que se chamará: “O Mistério dos Motoqueiros Vampiros”, onde Rick, o maldito hacker, nos seus últimos instantes de vida revela para André (já transformado em vampiro) um segredo que ele havia descoberto sobre alguns motoqueiros.  André então resolve investigar quem seriam eles e aos poucos acaba conhecendo a história de cada um. O grupo era formado por sete rapazes que pilotavam motos esportivas de alta cilindrada e que na verdade mesmo, eram outros vampiros que habitavam uma residência oculta, escondida entre a região de Santo Antônio do Pinhal e Campos de Jordão (SP). Eles percorriam as estradas do vale do Paraíba, para fazerem rachas e fortalecerem os iniciados, onde se divertiam muito com isso, colocando um certo tipo de substância em suas bebidas prediletas, ou melhor, no sangue virgem. Na verdade mesmo, todos eles já foram vítimas de acidentes no passado (já morreram), porém resgatados do vale da sombra da morte, eles agora precisam continuar a sua jornada, tentando promover a vida eterna naqueles que aceitarem as suas regras. Mas uma coisa eles ainda estão escondendo e André tentará descobrir de qualquer maneira, do que isso se trata.  Uma aventura alucinante, um verdadeiro mistério a ser decifrado, onde o esporte, o terror e a adrenalina disputam as estradas em alta velocidade. Nesta história o Vampiro Victtor (personagem do primeiro livro) vai descobrindo aos poucos que eles são guardiões fugitivos do Umbral, ou seja, são os sete pecados capitais originais (descendentes de Caim). Eles se apossaram das almas de seus prisioneiros e conseguiram fugir de lá. Mas para se manterem no mundo dos vivos, eles precisam ficar sempre “caçando” certas almas. Vale ressaltar que no livro existe uma crônica para cada um dos motoqueiros vulneráveis à esses pecados em vida.  Aguardem !

6 - Deixe um recado para os seguidores.
Não há nada que pague um sincero comentário de um leitor.  À todos vocês que me incentivam com suas eternas palavras, com seus preciosos comentários em minha Rede Social e nos meus Blogs, os meus mais profundos e sinceros agradecimentos !
                Marli, quero  também deixar o meu sincero agradecimento para você, pela nossa parceria literária e claro, por esta gostosa entrevista aqui no seu  Blog.
                Convido você e todos os seus seguidores para lerem semanalmente os meus contos instigantes no meu Blog de histórias: http://www.historiasdoandrevicttor.blogspot.com

                                                                              André Victtor  – O Mestre dos Contos Fantásticos.

13 de outubro de 2011

Sorteio no dia das Bruxas!!!! Sortuda: Daya, muito prazer.




REGRINHAS!
1-  Seguir publicamente o blog: http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/
2- Deixar um comentário aqui no link da promoção.
3- Residir no Brasil ou ter um endereço de envio no Brasil.
4- Sua posição no comentário é o seu número no sorteio.
5- Data início: 13/10/11
6- Data término: 29/10/11
7- Data sorteio: 30/10/11

ATENÇÃO!  Se o ganhador não entrar em contato em até 3 dias após a divulgação, farei novo sorteio!

12 de outubro de 2011

Divulgando...

Divulgando os blogs de três amigas:

http://www.crisartesanatocris.blogspot.com/ - é sobre artesanato, ela está começando na blogosfera...vale a pena conferir!

http://palavrasaventureiras.blogspot.com/ - é de resenhas, muito bom o blog!

http://holisticakakau.blogspot.com/ - interessante para o aprendizado interior- Karin é Terapeuta Holística!

Recomendo!!
Beijinhos
Marli Carmen Jachnkee

Dia de sorteio!!!

Adivinhem quem foi sorteado(a) com o livro da escritora Adriana Vargas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

True Random Number Generator 27 Powered by RANDOM.ORG

Hoje, para fazer um mistério, não colocarei o nome...vou deixar que busquem no post da promoção! hehehehehehe
Eu sou má, muito má!!!!

Número: 27!!!!

Beijinhos meus amores!!!
Marli Carmen Jachnkee.



P.S: Olá amigos!! Acho que não entenderam a brincadeira. Heheheehe...eu só não coloquei o nome da pessoa aqui..mas é só ir no post da promoção e contar...quem estiver na 27ª posição leva o livro. Entenderam? beijos.




© M.C. JACHNKEE. Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo