30 de agosto de 2011

Análise da música: Cuando los angeles lloran...

Dando apenas uma olhada superficial na letra, parece apenas um grupo cantando sobre alguém que já morreu: “chove sobre o campanário, alguém morreu”. Parece recordar as memórias de alguém cujo nome está bem específico na letra.Olhando para o contexto histórico, é importante saber que a letra foi escrita em 1995 por um grupo mexicano, sobre um fato ocorrido em 1988, nos confins da Amazônia brasileira, em uma cidadezinha chamada Xapuri, no Acre.Durante aquele período, ninguém escreveria uma canção falando sobre a luta deste homem, pois seus esforços geralmente eram abafados pela mídia nacional, mas muito aclamado pela internacional. Até quando Chico Mendes recebeu ameaças de morte, tanto a polícia quanto a mídia deram às costas ao caso. Esta mesma mídia e polícia, depois da desgraça que acarretou a morte do seringalista, desejavam que o assunto morresse com ele. Mas a mídia internacional fez disto uma manchete mundial!Sendo assim, os esforços deste brasileiro, ultrapassaram as fronteiras e as gerações. É importante ter em conta, que a imprensa internacional, favoreceu muito a Chico Mendes, portanto, não é estranho escutar mexicanos cantando uma canção sobre ele.Para entender o contexto histórico e a denúncia contida na letra da música é preciso saber mais que o simples fato de Chico Mendes ter sido brasileiro, seringalista que lutou e morreu pela defesa da preservação da Floresta Amazônica. É preciso saber que: os seringalistas viviam suas vidas de homens da floresta até que, os donos das terras em que eles retiravam o látex para a fabricação da borracha, decidiram vende-las aos fazendeiros do sul, para o pastoreio de gado.Estariam os seringalistas sem sustento nem teto, teriam que lutar ou lutar. Não havia muitas opções. Chico Mendes foi um destes homens, aliás, aquele que mais se destacou. Esse movimento que parecia inofensivo acabou ganhando forças internacionais. E é claro, começou a incomodar os ricos fazendeiros, que influenciavam a política.Chico àquela altura, já estava até ganhando prêmios internacionais por sua causa de luta ambiental. Dentro do Brasil, pouco se falava sobre este homem. Foi aí que, ele começou a receber inúmeras ameaças de morte. Com o destaque internacional, que ele possuía, os Bancos Estrangeiros deixaram de emprestar dinheiro para a construção de estradas ou qualquer outra coisa que pudesse prejudicar a Floresta Amazônica. Isso deixou muitos empresários e políticos nervosos. Dentro de seus planos políticos estavam as promessas de levarem progresso onde ainda não havia. Daí a menção na música: “ele morreu a sangue frio, sabia Collor de Mello e também a polícia.” Chico avisou a polícia e a imprensa de que estava marcado para morrer, mas ninguém deu muita importância. Menciona-se também, o punho leve do Presidente em relação aos criminosos, depois do ocorrido. Pois em 1988 o Presidente era José Sarney, e durante o julgamento era o Collor. Os acusados do crime, pai e filho foram condenados à prisão dois anos depois da morte do seringalista. Fugiram da cadeia e foram presos novamente. Hoje, já estão em liberdade. A parte em que falam: “ele deixou dois lindos filhos, uma esposa valiosa”, destaca o fato de Chico ser um homem como qualquer outro, tinha sua família e seu trabalho, mas como poucos, fez algo realmente grande! Ele decidiu lutar por aquilo que julgava ser certo. E até hoje falam dele, escrevem livro sobre este homem, ou até mesmo canções! Em diversos lugares do Mundo!Para finalizar: “quando os anjos choram” é uma metáfora, pois na Amazônia chove muito, e poeticamente os autores querem dizer que a chuva são as lágrimas dos anjos, por tanta injustiça ocorrida naquelas terras. Por tantas mortes inocentes! Os autores, por fim, acabam desejando com essa música, fazer uma homenagem para Chico Mendes, seringueiro e brasileiro!

20 de agosto de 2011

SORTEIO DO LIVRO: AMAZÔNIA - UM CAMINHO PARA O SONHO!

Você concorre ao livro:
“Amazônia, um caminho para o sonho”.
Autografado pela autora!
Um livro será sorteado

! Aproveite!!!
É super fácil!
1- Siga o blog: http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/
2-Deixe um comentário no link da promoção.( lembre desse item- sem comentário não concorre ao livro)
3-Sua posição no comentário é o seu número no sorteio.
4-Data de Início: 20/08/2011
5-Data de Término: até às 14:30 horas do dia 17/09/2011
6-O resultado será publicado no blog no dia:18/09/2011
Fique de olho!!

ATENÇÃO: Se o ganhador não entrar em contato em três dias após a divulgação do resultado acontecerá um novo sorteio

Venda:http://www.livrariascuritiba.com.br/product.aspx?idproduct=LV290216
PARA CONCORRER AO SORTEIO DO LIVRO É PRECISO SEGUIR O BLOG PUBLICAMENTE E ESCREVER UM COMENTÁRIO!!!
GRATA
MARLI.

17 de agosto de 2011

A AUTORA DE: AMAZÔNIA UM CAMINHO PARA O SONHO.

Sou uma capricorniana que adora conhecer novos lugares, aromas e culturas diferentes. Meu nome é Marli Carmen Jachnkee, minhas origens mais próximas são italina (mãe) e alemã (pai).
Nasci em Blumenau e vivi meus primeiros dias de vida na Escola Número 1 em Itoupava Central, naquela época ninguém sabia do seu passado e várias famílias passaram por lá, indo e vindo. Alguns anos depois fomos viver em Belchior, retornamos a Blumenau, seguimos para Ascurra, então decidi ir viver sozinha em Cusco e retornei fim do ano de 2008 para prestar o vestibular.
Dentro de minha casa jamais fui incentivada a cursar o Ensino Superior. Decidi por Letras desde o oitavo ano. Mas fiquei com vergonha de dizer que queria estudar esta carreira. E depois, como eu não tinha nem um tostão e nem conseguia me imaginar professora, deixei o sonho dormindo.
Mesmo trabalhando como costureira e ganhando um salário na época, nunca desisti dos meus encantadores sonhos. Viajei pela primeira vez sozinha para a Amazônia quando tinha 23, fui de avião até Manaus e desci o rio até Belém. Depois o Brasil tornou-se pequeno demais para mim e aos 25 fui conhecer Machu Picchu e todo o legado Inca.
Um ano depois estava eu retornando para viver em terras “sagradas” com o coração aberto para aprender o idioma e a cultura dos andinos. Acabei me tornando amiga de um dos maiores e mais respeitado investigador dos Incas. (Inca na verdade era um título político o nome do povo era Tawantysuyo)
Foi uma experiência que mudou o rumo da minha vida. E graças ao meu melhor amigo, que enxergou capacidades em mim que ninguém jamais viu, estou aqui de retorno ressuscitando meu antigo sonho do oitavo ano: estudar Letras e ser escritora!
Sinto saudade de Cusco, dos meus amigos, das pessoas que encontrava pelas ruas, da música, do idioma, da cultura, da culinária (considerada uma das melhores do mundo!).
Sinto saudade até da altitude que me deixava fatigada (um pouco mais de 3.000 metros!), sinto saudade de tudo que emana daquele lugar: o frio, as vendedoras me incomodando todos os dias, daquele trânsito caótico. Daqueles que pensavam que eu era da Europa ou dos E.U.A, mas jamais do Brasil! Sinto saudade de cada sorriso que recebi, de cada aperto de mão, de cada palavra jogada ao vento.
Nestes anos que passaram, desde o meu Ensino Médio, descobri que realmente não importa o lugar que eu nasci, qual a minha classe social, em que escola estudei. O importante mesmo é que levo comigo uma imensa força interior e isso fará com que meus pés pisem onde eles devem pisar




Editora Nova Letra.
Vendas online: http://www.livrariascuritiba.com.br/product.aspx?idproduct=LV290216

11 de agosto de 2011

Entrevista !!

Ascurrense lançará livro na Abertura da XVIIº Festa Per Tutti

Marli Carmen de 30 anos, residente em Ascurra é a mais nova escritora que no dia 12 de Agosto estará lançando seu livro "Amazônia um caminho para um sonho". Confira a entrevista:

Você escreveu um livro sobre a Amazônia, por que este tema?

Por que ao mesmo tempo em que é um tema discutido mundialmente é também um tema pouco conhecido. A vontade de escrever sobre um lugar tão distante do meu, foi justamente esse desafio: levar ao leitor uma visão, sobre o lugar e as pessoas, que talvez ele ainda não tenha.

Como você começou a escrever?

Foi pouco a pouco, com muita persistência. No começo escrevia duas linhas por tarde e no dia seguinte eu apagava uma, porque não gostava! Mais ou menos assim, escrevendo e apagando! Todos os dias eu pensava, respirava essa ideia de escrever sobre a Amazônia. Então, eu cheguei a conclusão de que, seu eu escrevesse uma única linha por dia, seria o suficiente para tornar meu sonho real algum dia. Mas se eu não escrevesse, ele jamais sairia da minha mente! Então eu fiz o que tinha que ser feito!

Quando você percebeu que queria ser escritora?

(risos) Quando eu terminei de escrever "Amazônia - um caminho para o sonho." Foi aí que percebi que quero isso para minha vida! Vivi uma pequena depressão..pois senti muita falta dos personagens, do enredo..tudo! Eu tinha respirado "Amazônia" durante anos e de repente, aquilo chegou ao fim! Acredito que a parte mais difícil para um escritor, não é começar uma história e sim terminá-la! Então eu precisei escrever outro livro e escrevi- ele jamais será impresso, está no meu blog: http://tecendoaventuras.blogspot.com/

Como surgiu a ideia de Amazônia?

Surgiu de uma reportagem que eu li a respeito da Amazônia quando estava em uma viagem escolar para o Rio Grande do Sul ao terminar o oitavo ano do Ensino Fundamental. E eu decidi que iria escrever sobre a Amazônia para levar informação aos interessados.

Fale um pouco sobre os personagens.

Daniel é um ex-professor de história e tio de Joana - uma das garotas da turma - e responsável por tudo que vai acontecer. Ana Carolina e uma garota zen, super tranquila e tem uma fala otimista, Camila é a mais brincalhona da turma e Rafaela é a sonhadora, quer ser escritora, quer apaixonar-se, quer tudo mas não faz nada.

Por que uma escritora?

Eu não sei ao certo a razão, foi algo que nasceu. Talvez de maneira inconsciente eu quisesse passar um pouco dessa experiência de escritor, que as ideias não surgem com facilidade, é necessário muita persistência.

O que você poderia falar a respeito da experiência que teve com os nortistas?

Que todas as pessoas estão lutando - mesmo que interiormente - por uma causa! E que todos tem um sonho, mesmo que talvez jamais lutem por ele. Mas tem a sua meta de vida! As pessoas que eu conheci na Amazônia foram muito receptivas comigo, me ajudaram em tudo que estava ao alcance delas e falaram um pouco sobre seus sonhos. Isso foi o mais legal! Eles perceberam no meu olhar que eu estava lutando pela minha causa pessoal, e quiseram contar um pouco a deles!

Você está cursando Letras, mas é evidente em "Amazônia: um caminho para o sonho" que você nutre uma forte paixão por história. Até pelo fato de ter vivido nos Andes...

(risos) Sim, é verdade! É difícil dizer desde quando tenho essa atração pela história, pelo passado, por coisas antigas. Mas eu adoro! Ir à Amazônia proporcionou uma grande mudança interior na minha vida, levando em consideração como ela era naquele momento. E o mais legal, foi que eu não fui com a intenção de me transformar e sim para coletar dados para o livro. Viver nos Andes foi o segundo trampolim para uma mudança interior e física. Viver na antiga capital do Império Inca me levou a ver a simplicidade como algo belo.

Podemos esperar um novo livro?

Com certeza! E será muito melhor, pois a gente amadurece e isso também reflete no nosso trabalho.

Sobre os Incas?

Ah(risos) Há todas as possibilidades!

O que você pretende fazer depois de Formada?

Pretendo viajar para concluir o segundo livro - pois necessito mais dados - editá-lo e fazer Mestrado em Literatura!

Em que local as pessoas interessadas podem encontrar seu livro?

Através do site da Livraria Curitiba, em Blumenau na Livraria Catarinense no Shopping Neumarkt e na Livraria Blulivro na XV de Novembro, em Rodeio na Secretaria Paroquial, em Ascurra na Papelex Papelaria e Fratelli Papelaria.

E quem quiser estar em contato com a escritora?

Podem deixar um recado no blog do livro: http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/ ou enviar um e-mail para: marlicarmen@hotmail.com


--------------------------------------------------------------------------------

7 de agosto de 2011

Amazônia- um caminho para o sonho.

A escritora, Marli Carmen Jachnkee, é natural de Blumenau e vive atualmente em Ascurra. É estudante de Letras na FURB e acaba de lançar seu primeiro livro.
Em “Amazônia- um caminho para o sonho”, os personagens são de Ascurra e em busca de uma mudança na vida, partem para a maior Floresta Tropical Úmida do Mundo. Da majestosa Manaus dos Barões da borracha, passando pela festeira Parintins,

subindo o rio Tapajós ao encontro de Fordlândia- a cidade americana construída em meio a selva até a Belém dos índios Tupinambás que observaram a chegada dos conquistadores na Baía.
Eles precisarão se adaptar e encarar realidades diferentes. Irão conhecer muito dos pontos turísticos e também da história da região norte do Brasil. É um livro que traz muita informação histórica e de uma maneira sutil vai-se apresentando os personagens e sua trama.
No livro “Amazônia- um caminho para o sonho” os locais são descritos com o máximo de detalhes, possibilitando ao leitor a sensação de estar na Amazônia durante a leitura. Além de expor fatos históricos o livro traz também muita curiosidade a respeito da região norte do Brasil. Fala-se de biopirataria, Chico Mendes- toda essa questão ambiental, e em meio a tudo isso, vai acontecendo a evolução dos personagens e a trama vai se desenvolvendo.
É uma leitura fácil, composta basicamente de diálogos.
Um livro para adolescentes e adultos.
© M.C. JACHNKEE. Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo